Arquivo da tag: Qualidade da aula

“Me senti muito feliz quando fui chamada para estudar na EACH. Consciente da situação, me matriculei e tenho acompanhado as aulas. Aquele ânimo de ter passado na USP, foi se esvaindo com o decorrer desses primeiros meses. Sinto que meu primeiro semestre foi muito prejudicado. Apesar de estar na FMUSP (que pelo menos tem uma estrutura física excelente) a distância também é grande para quem mora na ZL. Moro ao lado do Campus Leste. Não pretendia gastar, como tenho gastado para me deslocar até as Clínicas. A falta de biblioteca para minha área prejudica as matérias. Não tenho tempo para ir buscar livros em outras bibliotecas da USP regularmente. O bandeijão da FSP após quase um mês de aula, foi aberto para os estudantes da EACH. Mas a tesouraria para carregar créditos fica aberta em horários totalmente inviáveis para quem trabalha durante o dia, pois visam grande parte dos alunos do quadrilátero que estudam em período integral. Estamos como peixes fora d’água. Num ambiente que NADA tem a ver com a EACH ou com os cursos oferecidos. Para questionar algo à um professor, somente por email. Não há proximidade e aquela interação estudantil faz falta. Até hoje, vi meus veteranos 2 vezes. Penso em transferir para poder, de uma forma melhor, aproveitar a oportunidade que consegui ingressando na USP.”

Alana – Estudante de GPP

“Me sinto um lixo hoje estudando na USP. Estudando na melhor universidade do país, eu me sinto um lixo, me sinto tratado da pior maneira possível, sem voz, sem ação, impotente. Todo dia escuto essa voz me dizendo: – Abaixa a cabeça e estuda, termina seu semestre, pega seu diploma e vaza daqui. Não importa como. Eu resisto, todos os dias, mas anda cada vez mais difícil… Talvez a USP seja realmente a faculdade que melhor nos prepare para esse mundo… esse que nos exige um conformismo incondicional, uma resignação absoluta e nenhuma possibilidade de transformação. Que tristeza, ôoo tristeza, tristeza demais…”

Estudante – Estudante de EFS

“Triste fato , o que todos os alunos ,docentes , funcionários , e envolvidos de maneira correta com a EACH estão passando , mais triste ainda é você se esforçar para passar em um vestibular , conseguir passar e viver as condições que estão vivendo todos nós Dependentes da EACH , em especial falando do meu curso LZT quando me perguntam onde estudo respondo ironicamente , porem nem um pouco feliz : – “Bem depende do dia da semana , estou tendo aulas em TRÊS lugares diferentes , de Segunda a Quarta tenho aulas na Unicid , as quintas na FeUSP e as Sextas na ECA “”

Diego – Estudante de LZT

“Indo direto a fonte do problema Estou cansado de ser tratado pior que um animal sem condições de ter uma aula de qualidade que sempre almejei por 3 anos para entrar na usp e acabar tendo aulas improvisadas . não quero ser um profissional que se formou de qualquer maneira , na ultima quarta feira 24/04 minha paciência passou do limite e fui falar direto com a fonte o governador do Estado de São Paulo como é o direito de qualquer cidadão de procurar seus direitos e cobrar ações a qual ele compete. Sem animo para ir a unicid resolvo ir a uma inauguração de uma linha de Trem em Amador Bueno-Itapevi ha uns 60 a 80 Km da unicid, que diga se de passagem uma obra extremamente eleitoreira na qual foram gastos R$85 milhões de reais em 6 km de vias férreas apenas para transportar 2 mil pessoas/dia ,onde 2 simples ônibus dariam conta dessa demanda . detalhe nesses 6 km com 3 estações não terá cobrança de tarifa olha que maravilha de dinheiro publico indo para o ralo… Chego ao bairro Rural – Periférico de Amador Bueno e logo chega a vossa Excelência alckmin na Cabine de um trem da década de 60 anunciado como “novo” . assim que desembarca vou de frente ao seu encontro e logo pergunto sobre a USP LESTE sem esperar que encontraria um aluno da each naquele lugar tão distante. logo começa a dar uma desculpa antes de terminar de falar eu o interrompo e falo que ta complicada a nossa vida acadêmica pois estamos esquecidos e sendo humilhados de todos os lados e maneiras. Ele engole seco e o clima muda logo chama o assessor dele e o secretario de Cien e Tecnologia para termos uma conversa rápida mais tarde, nos reunimos em uma sala operacional da estação e falei de todos os problemas que a gente estava enfrentando. Das breves palavras bem vagas do Akimin: Não tinha necessidade da interdição/Breve será o Retorno ao campus/Vou falar com o Zago. perguntei de datas e prazos e a mesma coisa vaga (BREVE) Galera Sempre que tiver oportunidade faça isso pois é o direito nosso…. Ps coloquei o vídeo do começo da abordagem ao akimin no grupo de alunos da each no facebook”

T – Estudante de OBS

Estou cansado de não ser ouvido, meus professores estão delirando ! As aulas estão pesadíssimas preciso de tempo para introduzir o conteúdo e assimilar nos exercícios levando em conta que no feriado ao invés de eu estar em uma mesa com a família, na minha cidade estou aqui na casa de um tio [que está agora na minha cidade] estudando para entregar exercícios, acho que esqueceram que eu só estudo na EACH \ UNICID , e que não fiz carreira acadêmica exclusiva Premium.

Estudante de MKT

Moro em Jacareí e para chegar à EACH, utilizava ônibus de linha comum para Mogi das Cruzes, com valor popular e de lá, pegava trem, tudo com VT estudante. Agora, para chegar à UNICID, preciso pegar outra empresa de ônibus, que vai para o terminar Tietê, que custa 3x mais que as outras viações que utilizava (agora, cada passagem gira entre R$ 18,00 a 21,00, dependendo do horário). Isso, se eu quiser chegar e sair no horário normal de aula, porque, se eu quiser continuar pagando o mesmo valor nos transportes que eu utilizo, preciso perder 1h30 de aula ao sair (minha aula termina 18h, ou seja, tenho q sair 16h30), para não perder a integração no Tatuapé, para transferir para a linha 11, para chegar à Mogi das Cruzes (estação estudantes), para de lá, voltar para Jacareí, no horário de sempre. Optando em estar sempre cumprindo horário, pago muito mais caro; e aí que o Aux. Transporte fornecido pela facul não dá nem pra metade do mês (pois tenho q pegar dois ônibus dentro da minha cidade pra chegar na rodoviária e depois pra voltar pro bairro, ou seja, aumentaram 4 viagens pra pagar, de 3,00 cada). Nesse caso, me vi obrigada a trancar uma matéria importante do meu curso, que me abriria o estágio no próximo semestre! Perderei um ano de estágio, perderei matérias importantes, perderei mais tempo no trânsito, já tive que comer qualquer coisa pela rua, por não ter dado tempo de bandejar (aqui ainda entra a questão que, sendo eu bolsista, só poderia comer no Butantã… e daria tempo?? Claro que não) … só saí perdendo com esse plano B. Sem contar que xerox ou impressão está totalmente fora de mão e caro. Quem vai me ressarcir do prejuízo que terei com as matérias atrasadas???? É um prejuízo que não tem como voltar pra gente… só atrasado msm!

Arlene – Estudante de OBS

Nesta semana, que supostamente seria um feriadão, temos professores que darão aulas. Um deles se recusou a acatar a essa saída para termos aulas o suficiente neste “semestre”. Sou completamente a favor a isso, de não sermos obrigados. Sinto que fomos completamente jogados a essa situação, e que, infelizmente, muitos já se acomodaram ou acataram a todo esse problema.

Gabriela Canindé – Estudante de GA

“Já percebemos que somos reféns ??? São 05h05 da manhã e estou tão preocupado com minha situação na USP que não consigo dormir, não estou em condições emocionais para frequentar o plano “b” oferecido as pressas pela reitoria. Estou no final de minha graduação e conheço de perto os problemas da EACH, que desde a greve no ano passado está sendo protelado pela burocracia da universidade . Sou alunos que necessito de todas as bolsas de permanência, justamente por não ter condições e possibilidades de fazer uma graduação paga ou desamparado de apoios acadêmicos , mas vejo que minha graduação está sendo afetada, serei um gestor de politicas publicas e percebo que minha carreira, meus planos de formação não foram respeitados assim como o do coletivo dos alunos,que nem si quer foi consultado pela direção e comissão de graduação, me sinto refém de um Plano “b” imposto pela nossa direção e CG que assumiram o seu funcionamento. Quero deixar bem claro que estou nesta universidade publica justamente por acreditar que minha formação atenderá a sociedade, mas me questiono se realmente da forma que estou sendo tratado serei um bom profissional ,sou refém por não poder trancar o semestre e garantir ainda que me penalizando desde então,eu possa ter um semestre de qualidade no próximo ano letivo,não tenho nenhuma segurança de que os auxílios continuariam a ser oferecidos quando decidir-me trancar o semestre, exigem-me 12 créditos mínimos mas como ? Como fazer sequer um credito? Não posso colocar a minha graduação nessa mar de lama que estou sendo jogado, Conseguirei ser um bom gestor, tendo meio conteúdo ? meio aprendizado ? Que parcimônia é essa na situação escabrosa, percebendo que universidade se contenta em oferecer um puxadinho ? Como? Estou sem condições emocionais de entrar em uma sala de aulas e receber uma esmagadora carga de conteúdo que não será aproveitado devidamente, como vou entrar em uma sala de aula com caideiras e uma lousa e esquecer do problema social que existe e que faço parte, como posso deixar de me preocupar comigo ? Luto por qualidade de vida e direitos para uma sociedade e nem direito a estudar eu estou tendo respeitado na maior universidade publica do país, como é que pode ser administrado a graduação de um aluno de gestão de politicas PUBLICAS nessas condições ? Apenas pensando em meus textos e datas de entrega de trabalhos sem nenhuma qualidade acadêmica estarei sendo um bom gestor ? lembro-me bem de uma disciplina que no primeiro ano temos no ciclo básico RP. [resolução de problemas ]- Aprendi tanto que agora fico “zonzo” atordoado com tal discrepância daquilo aprendemos com aquilo que se mostra na praticas. Como é possível admitir o plano “b” se esse plano não me respeita, para lembrar-nos sou filho de um pai e uma mãe, tenho Família e com algumas exceções, temos família e vida EXTRA USP . Sou refém duas vezes, pois precisarei abandonar meus projetos familiares que contemplam o recesso de meio de ano, para dar prosseguição a um plano que apenas beneficia a reitoria em não pagar multas ?Estarei eu abdicando da minha vida para sanar uma crise na universidade, estarei eu disposto ao longo de todo esse processo me desvincular de minha família para atender uma “dor\necessidade” minha mas que está sendo usada pra encobrir a falta de respeito com a comunidade acadêmica e com a sociedade como então somos. Eu DIGO NÃO, sou membro importante da minha família, fiz a escolha de cursar o semestre letivo e não a opção de uma politica ” de qualquer jeito”, não terei ferias é isso ? Semana Santa ? Copa ? Não recebo repeito a minha dignidade cidadã ??? É um absurdo que diante de tantos custos externalizados ainda possamos apoiar um plano “b”, se a direção colocar em numero para nós quantas pessoas estão trancando ou de alguma forma deixando de frequentar a EACH USP, evadindo e assim perdendo sua função social como universidade, talvez perceberíamos que o remédio para nossas dores não é mais um datashow ou mais uma sala com mais cadeiras…. E sim A paralisação das atividades como um todo, não podemos fechar os olhos para essas pessoas que como eu estão abrindo mão de projetos de vida porque a USP é negligente, não podemos aceitar essa evasão, quem de nós não pensou ou conhece quem está trancando o semestre ou parte de sua graduação por não ter possibilidades de cursar-las nas condições jogadas e não oferecidas. Quero muito terminar a minha graduação, mas na condição que a direção e CG querem que ela seja feita, de primeira forma é um desperdício de dinheiro e na segunda mais eclipsada nessa gama de problemas, é um desperdício de vida, pois não me proponho a fazer parte disso, minhas ideias, princípios, aspirações e desejos estão muito apagadas e quem sabe vetadas por essa politica que só atende a aspirações da Universidade elitista.”

narigudo_eu@hotmail.com – Estudante de GPP

“Durante a aula de química, a professora foi categórica ao afirmar que as aulas em laboratório são imprescindíveis, e que caso elas não ocorram, seremos muito prejudicados no próximo módulo.Hoje já é dia 08/04 e ainda nem sinal da instalação emergencial dos mesmos.”

Sandro – Estudante de LCN

“É perverso e deprimente esse suposto “Plano B” que nos foi empurrado goela abaixo. Devido ao meu trabalho e pesquisa eu estudo de manhã e a noite, programei minha grade já em dezembro para que tudo pudesse ocorrer bem neste semestre, mas como vou poder cursar minhas disciplinas com essa pulverização que fizeram com a EACH? Não há condições de eu ir de manhã para a UNICID, levar mais de 1 hora para chegar ao Butantã para depois sair às 22:45 do Butantã. Meu dia é perdido apenas com a viagem. USP não é só sala de aula, preciso de tempo e estrutura para estudar. Além disso, não há praticamente nenhuma política de permanência estudantil. Não há bandejões, bibliotecas, mal há atendimento no SAS… hoje gastar 30 reais por dia com alimentação é impensável ao meu orçamento. Outro ponto, não é o meu caso, mas os alunos que possuem veículo estão tendo que desembolsar ainda mais com estacionamento. No meu curso não precisamos de laboratório, giz lousa e saliva são suficientes, mas precisamos de datashow e silêncio – algo ausente nas salas da UNICID. Gostaria de poder trancar todo o semestre, mas sou bolsista e não tenho esse privilégio – tenho que cursar no mínimo 12 créditos para manter os auxílios. A CG não se esforçou muito em oferecer chances para que os estudantes que não querem se rebaixar a esse ridículo pudessem fazê-lo de fato. E os bixos? Podem trancar? Segundo a CG sim, mas quem garante que eles conseguirão vaga no próximo ano, com a entrada de novos ingressantes – lembrando que as turmas são sempre lotadas. Pesquisa e extensão? Dois pés do tripé universitário, onde estão? Essa situação é lamentável – para que fazer e aceitar isso? É pura perversão, não há outra maneira de enxergar isso. Já somos destratados, desrespeitados, ignorados como unidade. Iremos permitir ainda passar por esse puxadinho para livrar a Reitoria de suas responsabilidades legais? Permitimos isso hoje, amanhã a resposta será ainda pior. Como cidadão, não só como aluno, farei de tudo para impedir que esse descaso se perpetue comigo e com minha Escola.”

Daniel Vartanian – Estudante de MKT