Arquivo da categoria: Relatos EACH

Para que alunos, docentes e funcionári@s possam escrever sobre suas dificuldades com plano “B” da USP.

“Boa tarde, liguei no telefone da graduação 3091-8199 para ver como eu faço pra pegar o BUSP e não ficar gastando com passagens no Butantã e me disseram que o funcionamento lá fica só até as 16h e que não tem atendimento para o noturno porque os funcionários moram “muito longe”. Mas e como fazemos nós que trabalhamos e somos do noturno? Vamos todos dormir no Butantã? E ficaremos desamparados dos serviços de graduação indefinidamente?”

Vanessa – Estudante de GA

Anúncios

“Meu noivo faz GA noturno. Agora com essa palhaçada ele volta quase 1 da manhã pra casa. Ele foi assaltado esta noite. Agorinha pouco. E é numa dessa que eu poderia perder a pessoa que eu mais amo. Se isso chegar a você, (ir)RESPONSÁVEIS PELO “PLANO B” saibam: a culpa é de vocês. Se mais qualquer coisa acontecer com ele ou comigo por causa dessa mudança de horário e de percurso. A culpa é TODA DE VOCÊS.”

Familiar

“Estou demorando quase 3 horas para me deslocar até o Butantã pela manhã. Além disso, chego tarde no estágio (localizado no Bom Retiro) e portanto acabo saindo bem mais tarde também. Estou procurando apartamento para dividir com uns amigos perto do Butantã está totalmente inviável manter minhas atividades dessa maneira, mas isso tem um custo alto e vai ser difícil pagar.”

Mariana Rigo Torres – Estudante de TM

“Não temos laboratório, para as aulas práticas, e biblioteca. Não temos datashow. Hoje nem tinha giz na sala de aula. Fui ao banheiro e vi uma sala superlotada com 3 turmas numa única sala e com um único professor. Ontem vi alunos sentados no chão porque não tinha cadeira suficiente para todos. Não conseguirei comer lá por menos de 15 reais por dia, colocando no papel, por mês gastarei só com almoço 300 reais, fora os outros gastos como transporte, lanche (porque fico o dia inteiro na faculdade), xerox, etc. Conversei com as professoras e percebi que na matéria com menos problemas perderemos cerca de 50% do que tinha sido planejado e que seria ideal para uma ótima formação. Me deparei com o repúdio dos alunos da UNICID com a nossa chegada ao espaço deles. Já escutei “piadinhas” e não sou obrigada a passar por isso. Os funcionários estão numa salinha minúscula para atender as necessidades acadêmicas. Os professores e alunos que vão de carro estão tendo que pagar estacionamento, que custa R$20 fora as horas adicionais. Não vejo segurança nenhuma no local e no trajeto que faço da estação Carrão até a UNICID, pois há mendigos, pedintes e tem ruas sem movimentação. Vejo, também, a dificuldade dos alunos, do noturno, que não conseguem chegar em casa já que moram muito longe do quadrilátero da saúde, em Pinheiros, e da USP Butantã. Fora, que também não têm laboratório disponível para eles e os horários planejados das matérias não batem com a disponibilidade da grade que tinha mantes.”

Stella Alves Souza – Estudante de OBS

“Não há computadores e recursos multimídia nas salas que tenho frequentado. Em se tratando do curso de SI, esses recursos são essenciais para algumas matérias. Além disso não temos o mesmo fácil acesso aos laboratórios de informática como tínhamos antes, ou melhor, não temos qualquer acesso aos laboratórios ainda. Sem falar do wi-fi, que pede usuário e senha dos alunos da UNICID para que possa ser utilizado, ou seja, mesmo trazendo nossos próprios equipamentos não temos acesso a isso que antes tínhamos na EACH sem muitos problemas. Para aqueles que utilizavam o bandejão no almoço e na janta, como eu, a conta é simples: antes gastávamos por volta de R$ 80,00 por mês com alimentação. Hoje, tomando uma média de R$ 25,00 por dia (R$ 12,50 no almoço e na janta, que convenhamos é um preço razoável, levando em conta a variedade e quantidade de comida que tínhamos acesso com o bandejão), passamos a gastar R$ 500,00, ou seja, R$ 420,00 a mais, a cada mês. Para aqueles que não trabalham e querem se dedicar à vida acadêmica exclusivamente, esse aumento no orçamento no fim do mês certamente é um verdadeiro empecilho. Isso prejudica bastante a permanência na Universidade. Antes passava o dia inteiro na EACH, estudando na biblioteca e nos laboratórios de informática. Hoje, sem saber direito sobre o acesso à biblioteca da UNICID, sem saber se eles dispõem dos livros que necessito, e para economizar com almoço e janta, volto para casa logo que a aula termina. Sem falar do trajeto. O fato da UNICID se localizar bem perto do Carrão ajuda bastante. Contudo, minha viagem passou de 15 minutos diários à pé até a EACH para 50 minutos de transporte público. E em se tratando de linhas vermelha e azul no horário da manhã ainda por cima, a mudança foi bem drástica e nem um pouco positiva.”

André Thomaz – Estudante de SI

“Lendo os posts dos meus colegas, percebo que atacam diretamente a estrutura oferecida pela Unicid, mas não acho que isso seja o foco principal. Aliás, a forma com que se referem à instituição, a partir da infraestrutra que ela oferece, acaba sendo até mesmo desrespeitoso com aqueles que optaram por fazer sua trajetória acadêmica nesta universidade particular, e que pagam pelo referido espaço. Penso que o foco principal é o descaso da USP em relação a todos os Eachianos, seja qual for o campus que estejam alocados. Estou cursando as disciplinas do meu curso na Poli-USP, com o indicativo de que iremos, nas próximas semanas, para o Instituto de Relações Internacionais (IRI-USP). Agradeço a estrutura que as unidades se dispõem a nos emprestar, mas, somente pelo fato de não saber onde iremos, de fato, nos estabelecer, e que a USP simplesmente esqueceu que existem atividades de pesquisa, cultura e extensão que eram desenvolvidas na EACH, dos programas de permanência estudantil e sua necessidade de adaptação ao novo contexto, sem contar a falta de diálogo aqueles que realmente estão sendo afetados, já denota claramente a forma com que nos tratam, ou seja, como se a EACH, bem como os Eachianos, fosse a “filha pobre”, a “USP do B”, pois duvido muito que isso tudo pudesse acontecer com unidades renomadas, como a FEA, Faculdade de Direito ou a Poli, se estivessem na mesma situação.”

Renato Domingos Junior – Estudante de GPP

“Estou fazendo uma matéria que foi alocada na Escola de Enfermagem. Primeiro problema: “aluno da EACH não tem o direito de parar aqui”, foi isso que ouvi de um funcionário da escola ao perguntar se poderia utilizar o estacionamento de lá. Então, paguei R$ 15,50, por um período de 2 horas, a um estacionamento privado existente no local, lembrando que é proibido parar na rua (Av. Dr. Enéas de C. Aguiar). Ouvi, também, relatos que de alunos que tiveram sua entrada no bandejão da Saúde vetada. Além de ter sido perseguida por um homem, até entrar no estacionamento. #sddsmaravilhosa”

Raphaella Burti – Estudante de GPP

“Ontem 01/04 tive minha primeira aula de PDI (Processamento Digital de Imagens) na Poli química. Haverá mudanças nessa aula, além de não termos computadores, item ESSENCIAL para o aprendizado dessa matéria. Ficaremos mais na teoria, pois a prática está impedida de ser oferecida. Bem que poderia ser mentira.”

Gabriela Canindé – Estudante de GA

“Sou o professor Alberto Tufaile do curso da Licenciatura em Ciências da Natureza da EACH e este semestre sou responsável pela disciplina de laboratório de Física. Meu problema é a falta de um local adequado para as aulas de laboratório de Física para este semestre. Apesar dos esforços do coordenador do meu curso para resolver os nossos problemas de aula, a administração da USP não considerou que uma disciplina de Laboratório de Física não poderia ser dada em salas com apenas lousa e cadeira, além de nos colocar na manhã de terça na UNICID e na noite de quinta na escola de enfermagem, o que impossibilita o transporte do material. Acabamos de receber um material caríssimo para as aulas, mas não temos onde colocar! Vejam a nossa troca de mensagens: Prezados(as), A possibilidade de implantar um laboratório didático provisório na FATEC do Tatuapé está em vias de se confirmar. Espero ter notícias em breve, incluindo, evidentemente, a informação precisa da localização da sala no prédio e condições de utilização, para que os professores possam avaliar se é aceitável. Podemos assim aguardar um pouco mais antes de marcar a entrega do material? Cordialmente, Thomás Haddad Em 01/04/2014, às 15:01, atufaile@usp.br escreveu: Prezado XXXXXXXX, Por favor, quando tiver local, data e horário da entrega, avise-me que irei conferir o material na entrega. Coloco para receber esta mensagem, o coordenador do curso e a diretoria, para que providenciem um local para recebimento deste importante material didático. O coordenador Thomás citou a poucos dias a possibilidade de usarmos uma sala na FATEC tatuapé para ministrarmos as aulas de Laboratório de Física, para a qual este material se destina. Espero que consigamos este espaço e que este material possa ser entregue lá, pois possibilitaria melhores condições que as precárias atuais. Atenciosamente, Adriana Profa. Dra. Adriana P. B. Tufaile Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo De: XXXXXXXXXXXXXXXXXX… Para: “Adriana Tufaile” Enviadas: Terça-feira, 1 de Abril de 2014 12:33:45 Assunto: Entrega Kits Didáticos Bom dia Professora Adriana, O fornecedor, vencedor da licitação para aquisição dos Kits “Conjunto Interativo para Dinâmica das Rotações” e “Conjunto para Análise Espectral e Efeito Fotoelétrico”, está entrando em contato para saber onde entregar tais kits. Favor verificar, se possível, um local para o recebimento do material. Salientamos que quando o fornecedor entregar, a senhora ou alguém responsável deverá estar presente para averiguação dos itens. Qualquer coisa, entre em contato. Atenciosamente, XXXXXXXXX… ———————————————————— Ocultei o nome do funcionário por motivos de sigilo. Este é o meu problema, Obrigado, Prof. Tufaile”

Alberto Tufaile – Docente de LCN