“Mensagem encaminhada no canal Fale com o Reitor. Olá Reitor, No início de 2014, quando você esteve no campus da EACH para fazer uma vistoria, juntamente com a dita “comissão dos notáveis”, pedimos explicações a respeito do nosso campus, do nosso semestre, enfim, das nossas vidas acadêmicas. Pedimos um PLANO B enquanto o campus era descontaminado. É triste olhar pra trás e perceber o que tudo isso virou. A REITORIA e a administração da USP não ofereceram absolutamente nada à comunidade da EACH, apenas nos jogaram em um prédio da Unicid, que claramente não comporta as atividades de uma Universidade pública. A reitoria nos submeteu a situações extremamente humilhantes, das quais destaco: – fomos obrigados a ter aulas sem infraestrutura adequada, – ficamos por semanas sem acesso a restaurante universitário ou qualquer tipo de apoio a permanência estudantil; – fomos obrigados a fazer deslocamentos diários extenuantes que geram prejuízos psicológicos, físicos e financeiros. É claro, existem estudantes que não poderiam arcar com todos os prejuízos citados acima, e se viram obrigados a simplesmente trancar a faculdade, ou ainda, desistir. A perspectiva dos calouros é ainda pior – que impressão será que eles estão tendo dessa tal de USP? Depois de tudo isso, Reitor Zago, ainda fomos obrigados a ouvir acusações absurdas proferidas pelo Prof. Nakao, a quem o senhor faz questão de defender em todas as oportunidades que tem (talvez porque pense da mesma forma que ele sobre todo o problema da EACH). Enfim, temos membros da comunidade, docentes, funcionários e estudantes, que estão completamente desamparados. Muitos sofrendo com problemas psicológicos, depressão mesmo. E não é para menos do que isso, dado que não há uma perspectiva de melhora nem quanto ao campus da EACH e muito menos na relação entre a comunidade e a reitoria. Hoje, 4 meses depois daquela visita, na qual havia sido dito que as aulas voltariam no dia 10 de março, que a EACH seria desinterditada e tantas outras falsas promessas, é completamente absurdo, triste, desgastante, desesperador e até um pouco irreal, termos que vir aqui fazer exatamente as mesmas perguntas, que foram naquela época, e ainda hoje, respondidas com o mais absoluto silêncio: 1 – Onde acontecerão as atividades da EACH no próximo semestre, Reitor? 2 – Teremos um dia o nosso campus descontaminado e liberado para uso? Se sim, quando? 3 – Alguém na administração central da USP dá a mínima para a EACH? Ou já consideram um caso perdido mesmo, reitor? Sinceramente, Um estudante da EACH.”

Desesperado – Estudante de MKT

Anúncios