“Bibliotecas que não possuem os livros que precisamos (ou apenas um exemplar já emprestado). Impressão de textos, mais caros que xerox, porque não ha pastas e os professores mandam o arquivo. Só essa semana gastei 9 reais na unicid e 12 hoje na FFLC. E não peguei tudo que precisava. E bandejão longe e cantina cara e fechada na hora do intervalo na POLI. Passei fome. Já ta virando rotina…..”

“Na terça feira, fui na xerox da unicid. Eles digitalizaram o texto, e quando vc pede uma pasta eles abrem a pasta no pc, que fica do lado de dentro. Ou seja, não é possivel olhar o texto e cofirmar qual é qual, e enquanto você olha a moça fica “a pasta toda é 14,50”, “mas eu não quero a pasta toda”, respondi. Enfim, pressão para que pegue e pague tudo, sem nem olhar. Ainda nos corres da leitura, dois livros que preciso possuem apenas um exemplar na FEA e outro na FFLCH. Fui até a biblio da FEA, mas alguem foi mais rápido, estava indisponivel. Fui até a xerox da FFLCH, esperando que fosse mais barata: 0.20 centavos a impressão. Como não há pasta e xerox, tem que ser impresso. Ou seja, sai o dobro do preço que sairia na EACH. Perdi tanto tempo fazendo algo aparentemente simples (por ser tudo distante no butanta) que fiquei sem jantar. E na POLI, a cantina (carissima) esta fechada na hora do intervalo da noite. É ridiculo escutar os professores nos dizendo para levar lanchinho. Me senti no pré. E fiquei com fome.”

Thaisa Torres Nunes – Estudante de GPP

Anúncios