“Moro na Estação USP leste, o que significa que demoro cerca de 1,5 hora para chegar ao Butantã, na volta faço sozinha o trajeto entre a estação e minha casa, como já é mais de meia noite, há poucas pessoas na rua, fazendo com que os motoristas da avenida se sintam confortáveis para buzinar e fazer cantadas. Já que estamos espalhados pelo Butantã, não posso combinar de encontrar meus colegas de república para voltar e receosa, ontem optei por fazer o trajeto de ônibus, aumentando meu percurso em 20 min. “Eu sei que a gente se acostuma. Mas não deveria … A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem outra vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha pra fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão” (Marina Colasanti). Não vamos nos acostumar com a falta de infraestrutura, de bandejão, de salas adequadas, de laboratório e principalmente com o descaso da reitoria!”

Isadora Aguirra – Estudante de GA

Anúncios