“Não temos laboratório, para as aulas práticas, e biblioteca. Não temos datashow. Hoje nem tinha giz na sala de aula. Fui ao banheiro e vi uma sala superlotada com 3 turmas numa única sala e com um único professor. Ontem vi alunos sentados no chão porque não tinha cadeira suficiente para todos. Não conseguirei comer lá por menos de 15 reais por dia, colocando no papel, por mês gastarei só com almoço 300 reais, fora os outros gastos como transporte, lanche (porque fico o dia inteiro na faculdade), xerox, etc. Conversei com as professoras e percebi que na matéria com menos problemas perderemos cerca de 50% do que tinha sido planejado e que seria ideal para uma ótima formação. Me deparei com o repúdio dos alunos da UNICID com a nossa chegada ao espaço deles. Já escutei “piadinhas” e não sou obrigada a passar por isso. Os funcionários estão numa salinha minúscula para atender as necessidades acadêmicas. Os professores e alunos que vão de carro estão tendo que pagar estacionamento, que custa R$20 fora as horas adicionais. Não vejo segurança nenhuma no local e no trajeto que faço da estação Carrão até a UNICID, pois há mendigos, pedintes e tem ruas sem movimentação. Vejo, também, a dificuldade dos alunos, do noturno, que não conseguem chegar em casa já que moram muito longe do quadrilátero da saúde, em Pinheiros, e da USP Butantã. Fora, que também não têm laboratório disponível para eles e os horários planejados das matérias não batem com a disponibilidade da grade que tinha mantes.”

Stella Alves Souza – Estudante de OBS

Anúncios