“Lendo os posts dos meus colegas, percebo que atacam diretamente a estrutura oferecida pela Unicid, mas não acho que isso seja o foco principal. Aliás, a forma com que se referem à instituição, a partir da infraestrutra que ela oferece, acaba sendo até mesmo desrespeitoso com aqueles que optaram por fazer sua trajetória acadêmica nesta universidade particular, e que pagam pelo referido espaço. Penso que o foco principal é o descaso da USP em relação a todos os Eachianos, seja qual for o campus que estejam alocados. Estou cursando as disciplinas do meu curso na Poli-USP, com o indicativo de que iremos, nas próximas semanas, para o Instituto de Relações Internacionais (IRI-USP). Agradeço a estrutura que as unidades se dispõem a nos emprestar, mas, somente pelo fato de não saber onde iremos, de fato, nos estabelecer, e que a USP simplesmente esqueceu que existem atividades de pesquisa, cultura e extensão que eram desenvolvidas na EACH, dos programas de permanência estudantil e sua necessidade de adaptação ao novo contexto, sem contar a falta de diálogo aqueles que realmente estão sendo afetados, já denota claramente a forma com que nos tratam, ou seja, como se a EACH, bem como os Eachianos, fosse a “filha pobre”, a “USP do B”, pois duvido muito que isso tudo pudesse acontecer com unidades renomadas, como a FEA, Faculdade de Direito ou a Poli, se estivessem na mesma situação.”

Renato Domingos Junior – Estudante de GPP

Anúncios